Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Políticos da República Tcheca querem banir o Islã do País

Políticos da República Tcheca querem banir o Islã do País
COMPARTILHE

Líderes políticos da República Tcheca já condenaram fortemente o Islã tempos atrás. Agora, os políticos do Parlamento checo discutem a proibição total da religião.

“Se alguém pede a morte de infiéis e judeus, então não é uma religião de paz”, diz o parlamentar Jiri Kobza.

Ele e seu partido, Liberdade e Democracia Direta, que é um dos maiores do Parlamento, acreditam que o Islã não é apenas uma religião, mas também uma ideologia violenta que deveria ser proibida.

“Sugerimos que todas as ideologias que promovem o ódio e a violência devem ser banidas. Uma das ideologias é o islamismo. E então nós temos fascismo e nazismo”, diz Kobza.

O parlamentar da República Tcheca aponta que os muçulmanos não querem se integrar às sociedades não-muçulmanas.

“Não é migração, é colonização”, alertou Kobza.

Uma forte desconfiança do Islã existe em todo o espectro político na República Tcheca, onde apenas 0,5% da população é muçulmana.

“Nós não queremos mais muçulmanos na República Tcheca”, afirmou o social-democrata Bohuslav Sobotka em uma entrevista no ano passado.

Até mesmo o presidente tcheco Milos Zeman, que também é um social-democrata, condenou veementemente a religião islâmica.

Entre outras coisas, ele disse que o islamismo simplesmente não pertence à Europa.

Adaptado da fonte Voice of Europe

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários