Polônia continua luta contra o aborto

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Depois de rejeitar projeto de lei que visava legalização do aborto sob demanda e restrição do direito de protestar contra o aborto, os legisladores da Polônia agora estão examinando uma proposta que eliminaria uma das poucas razões remanescentes pelas quais o aborto do feto ainda é permitido.

A legislação proposta foi rejeitada rotundamente pelo Sejm, a casa legislativa inferior do país. O principal defensor do projeto de lei defendia o aborto negando a humanidade do feto.

Uma semente não é uma árvore, um ovo não é uma galinha e um conglomerado de células não é uma criança“, disse Barbara Nowacka antes da votação do projeto de lei.

Antes de votarem maciçamente contra a proposta, os deputados do partido conservador Lei e Justiça gritaram “vergonha” e bateram em suas mesas.

A resposta do Partido da Lei e da Justiça foi ressaltar que o projeto de lei tentava legalizar o assassinato de crianças, o que viola a garantia da Constituição polonesa “para toda a proteção legal da vida“.

Além de impedir que o projeto pró-aborto avançasse, os deputados poloneses decidiram continuar trabalhando em uma legislação que proibe a morte de bebês para fins de eugenia.

Os abortos eugênicos, que eliminam bebês com deformidades e deficiências ainda no ventre das mães, provocaram a eliminação quase total de crianças com Síndrome de Down nos países ocidentais, onde mais de 90% delas são mortas no útero.

Não há necessidade de explicar a ninguém que o aborto eugênico é uma barbaridade“, disse o deputado Kaja Godek.

 

Com informações de: [LifeSite]

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.