Presidente da Polônia pede perdão aos judeus expulsos do país em 1968

Andrzej Duda disse nesta quinta-feira (08) que a Polônia de hoje não é responsável pelo exílio dos judeus durante a campanha antissemita e que eles ajudaram a lutar por um país independente.

O presidente polonês Andrzej Duda pediu perdão nesta quinta-feira (08) aos judeus expulsos de seu país durante a campanha antissemita de 1968.

Dirigindo-se aos judeus forçados ao exílio e suas famílias, Duda declarou: “Perdoem, por favor, perdoem a República, os poloneses, a Polônia de então“.

Ele enfatizou que “a Polônia livre e independente de hoje não é responsável” por este episódio.

O chefe de Estado pronunciou seu discurso no campus da Universidade de Varsóvia por ocasião do 50º aniversário da revolta estudantil de março de 1968, à qual se seguiu uma violenta campanha antissemita e o exílio de ao menos 12.000 judeus poloneses.

Duda recordou que os judeus poloneses participaram na luta pela independência do país há um século e a defenderam em 1920 contra os soviéticos e em 1939 contra os alemães.

 

Com informações de: [CB]
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

1 Comentário

  1. Comsuelo disse:

    “Perdoem, por favor, perdoem a República, os poloneses, a Polônia de então“.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *