Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
- PUBLICIDADE -

87% da população da Venezuela está na pobreza

Tarciso Morais

Tarciso Morais

COMPARTILHE

De acordo com estudo das principais universidades do país e de várias ONGs divulgado nessa quarta-feira (21), a pobreza na Venezuela chegou a 87% da população em 2017, graças a hiperinflação que pulverizou a renda.

Em matéria publicada pelo jornal Estadão:

A pobreza subiu para 87% na Venezuela em 2017 (6,2 pontos a mais em relação a 2016), impulsionada pela hiperinflação, e os venezuelanos emagreceram em média 11,4 quilos com relação ao ano anterior, indicou um estudo divulgado nesta quarta-feira e realizado pelas principais universidades do país.

A Pesquisa Nacional de Condições de Vida revelou algumas das dificuldades enfrentadas pelos 30 milhões de habitantes da Venezuela, população afetada pela pior crise econômica de sua história.

 “O indicador de pobreza está mostrando que é tão generalizada a disparidade entre o aumento dos preços e os salários no país que praticamente não há venezuelanos que não sejam pobres”, afirmou María Ponce, que participou da elaboração do estudo.

Segundo informações do Correio Braziliense:

A Venezuela teve, em 2017, inflação de 2.600%, segundo o Parlamento, de maioria opositora, enquanto o Fundo Monetário Internacional (FMI) projeta em 13.000% para 2018.

A pesquisa, realizada entre julho e setembro em 6.188 lares, revelou que 56,2% caíram, recentemente, para a pobreza, enquanto 30,4% se encontram em “pobreza crônica”, o que “implica a pulverização da classe média em termos econômicos”, disse Ponce.

“Após quatro anos ininterruptos de crises, a deterioração foi monumental”, destacou a socióloga ao indicar que, entre 2014 e 2017, a pobreza escalou de 48,4% a 87%.

- PUBLICIDADE -

CANAL TELEGRAM:
Acompanhe as principais notícias através do nosso canal no Telegram. INSCREVA-SE!

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
VEJA TAMBÉM