Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Porteiro será investigado por crime contra segurança nacional

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Porteiro será investigado por crime contra segurança nacional
COMPARTILHE

Para Bolsonaro, o porteiro pode ter sido induzido a prestar falso testemunho.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu ao Ministério Público Federal (MPF) que investigue o porteiro do condomínio do presidente da República, Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro, por suposto crime contra a segurança nacional.

Em ofício encaminhado à Procuradoria, nesta quarta-feira (30), Aras menciona o possível enquadramento no crime de caluniar ou difamar o presidente da República,“imputando-lhes fato definido como crime ou fato ofensivo à reputação”. 

O delito pode gerar penas de 1 a 4 anos de reclusão.

Nesta quarta, o Ministério Público do Rio disse que o porteiro deu uma informação falsa em depoimento, ao relatar que, no dia do assassinato da vereadora Marielle Franco, do PSOL, Élcio Queiroz, um dos acusados, foi autorizado por “seu Jair” a entrar no condomínio onde mora o presidente, para encontrar-se com outro acusado, Ronnie Lessa.

- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram