Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

‘Precisamos aumentar nossa capacidade operacional’, diz Pujol

General Pujol comandará o Exército no governo Bolsonaro
COMPARTILHE

“Estamos muito aquém do que o Brasil precisa”, diz comandante do Exército.

O comandante do Exército Brasileiro, general Edson Leal Pujol, afirmou que, no momento, as Forças Armadas do Brasil não são ameaçadas por nenhuma nação da América do Sul

Durante evento do Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa, na última quinta-feira (12), Pujol declarou: 

“O general Etchegoyen me perguntou se haveria algum país em nosso continente que seria uma ameaça ao Brasil. Eu digo. Hoje não, mas não sabemos daqui 3 ou 4 anos. Por isso fazemos nosso planejamento estratégico.” 

Os ex-ministros da Defesa, Raul Jungmann, e do Gabinete de Segurança Institucional, general Sérgio Etchegoyen, também estavam no evento. 

Questionado por Jungmann sobre o envolvimento das Forças Armadas no cenário político, Pujol afirmou:  

“O que eu tenho a dizer é que nesses dois anos o Ministério da Defesa e as três Forças se preocuparam exclusivamente e exaustivamente com assuntos militares.

Segundo o jornal Estadão, o chefe do Exército completou: 

Precisamos aumentar muito a nossa capacidade operacional. […] Somos uma reserva de alimentos para as próximas décadas e de água e minerais estratégicos que serão necessários para a humanidade. Estamos muito aquém do que o Brasil precisa para que as Forças Armadas cumpram suas missões constitucionais.” 

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
2 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Conan
Conan
11 dias atrás

É só dispensar um monte de generais, almirantes e brigadeiros barrigudos e fora de forma e diminuir o numero total de militares nas três forças armadas
(o efetivo geral é muito superior as necessidades operacionais) que sobrara muito dinheiro para investir na compra e principalmente desenvolvimento de novas armas. Nós temos um dos maiores orçamentos militares no mundo mas a folha de pagamento consome boa parte disso não sobrando quase nada para a compra de armas.

Cavalo Branco
Cavalo Branco
12 dias atrás

Parece que “los hermanos” sofrem de síndrome de Caim…

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE