Prédio da PUC ocupado por alunos pedindo contratação de professora negra

Twitter
Facebook
Google+
LinkedIn
Pinterest

Marcia Eurico é professora substituta na Faculdade de Serviço Social. Os estudantes pedem “reparação histórica” por mais docentes negros. Instituição diz que aulas estão suspensas no campus.

Alunos da PUC (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), em Perdizes, Zona Oeste da capital paulista, ocuparam um dos prédios da universidade pela contratação efetiva de uma professora negra do curso de Serviço Social.

Segundo informações do jornal Destak:

A ocupação teve início como um protesto à favor da contratação da professora negra Márcia Campos Eurico no quadro permanente de docentes do curso de Serviço Social. Hoje, a profissional atua como substituta. Desde o início do mês, estudantes se mobilizam à favor de Márcia e da inclusão de mais professores negros no quadro de funcionários.

Após interditarem o prédio antigo, o grupo afirma ter sofrido ameaças de um professor da FEA (Faculdade de Economia, Administração, Contábeis e Atuariais). A intimidação teria levado a ocupação também do prédio novo e com isso, todas as aulas foram suspensas.

A reitoria da PUC-SP afirma, em comunicado enviado às entidades estudantis na terça-feira (22), que manifesta “seu reconhecimento da relevância das demandas dos alunos do curso de Serviço Social, que incorporam questões acerca da temática racial na Universidade”.

O jornal G1 publicou a íntegra da nota da PUC-SP;

A Reitoria da PUC-SP vem manifestar o seu reconhecimento da relevância das demandas dos alunos do curso de Serviço Social, que incorporam questões acerca da temática racial na Universidade.

Nesse sentido, em conjunto com os Coletivos da Universidade, tem estabelecido uma agenda de ações concretas relacionadas a essa temática, que envolvem a participação da comunidade universitária, da Reitoria e da FUNDASP. Entre elas, destaca-se a implementação do Programa “Inclusão social: cotas étnico-raciais” para a concessão de bolsas de estudo na Pós-graduação stricto sensu, desde o 2º semestre de 2017. Esse Programa foi discutido e aprovado pelos órgãos colegiados da Universidade.

Além disso, vem realizando reuniões com o conjunto de representações do corpo discente para o estabelecimento de uma política de permanência dos estudantes na Universidade, iniciada com bolsas alimentação.

Em continuidade a essas ações, a Reitoria, com base no modelo utilizado na Pós-graduação, já elaborou proposta de política de bolsas de estudos, com critério de recorte racial, para alunos da graduação, cuja implantação está prevista para o 2º semestre de 2018.

Reconhecendo a necessidade de diversificação e mudança do perfil do quadro docente da Universidade, está em elaboração uma política de cotas étnico-raciais para a contratação de docentes, a ser amplamente discutida pela comunidade, ainda neste ano, e aprovada nas instâncias colegiadas.

Em relação à demanda específica de permanência da professora Marcia Eurico, no quadro docente do curso de Serviço Social, os Departamentos de Fundamentos do Serviço Social e de Política Social e Gestão Social responderam expressando sua posição. A Reitoria, preservando a autonomia dos Departamentos e da Faculdade de Ciências Sociais, tal como previsto no Estatuto da Universidade, acompanha as tratativas em curso entre os estudantes e aquela unidade acadêmica, com forte expectativa de que se chegue à melhor solução.

A Reitoria reafirma sua disposição em manter o diálogo com os estudantes acerca de suas demandas e reitera a necessidade de que a Universidade retome seu funcionamento normal, uma vez que questões estruturais relativas ao tema continuarão sendo tratadas e implementadas em âmbito institucional.

Twitter
Facebook
Google+
LinkedIn
Pinterest

Isso também pode te interessar

Deixe seu comentário

Anunciante
e-consulters
Parceiro

Assine nossa Newsletter!

Preencha o formulário para assinar.

Nome Email
newsletter

Últimas publicações