Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Premiê da Hungria vai avançar projeto de lei anti-Soros

Tarciso Morais

Tarciso Morais

COMPARTILHE

Após vitória esmagadora na eleição, o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, disse que o povo deu sua resposta e prometeu seguir em frente com o projeto de lei governamental “Detenham Soros”.

Orban conquistou um terceiro mandato consecutivo nas eleições de domingo, e sua mensagem de campanha anti-imigração rendeu uma grande maioria parlamentar dois terços dos assentos ao seu partido, segundo resultados preliminares.

Em sua primeira coletiva de imprensa depois do triunfo eleitoral, Viktor Orbán celebrou:

Recebemos um mandato forte. O povo húngaro definiu as questões mais importantes: estas são as questões da imigração e da soberania nacional. Está inteiramente claro… pelo resultado da eleição que os húngaros decidiram que só eles podem decidir com quem querem viver na Hungria, e o governo se aterá a esta posição.

O projeto de lei governamental “Detenham Soros” apresentado ao Parlamento imporá uma taxa de 25 por cento sobre doações estrangeiras a ONGs que Budapeste diz apoiarem a imigração para a Hungria. Seu nome se refere a George Soros, bilionário húngaro radicado nos Estados Unidos cujo financiamento de causas liberais e democráticas e a favor de fronteiras abertas na Europa o tornou um grande adversário de Orban.

“Na minha opinião a eleição também… decidiu que o governo húngaro deve se posicionar por uma Europa de nações, e não por ‘Estados Unidos da Europa’”, disse Orban.

Orban acrescentou que cultivará relações mais próximas com a Polônia de governo nacionalista e com a região alemã conservadora da Baviera em seu novo mandato por causa do apoio direto destas à sua campanha de reeleição.

 

Com informações de: [Reuters]
- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram