Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch
Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch

Presidente do BB critica aluguel de nova sede para o CNJ

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Presidente do BB critica aluguel de nova sede para o CNJ

“Isso é a realidade de Brasília, nossa ilha da fantasia. Aqui, a importância de um órgão público é medida pelo tamanho e suntuosidade de sua sede”, disse Novaes.

O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, criticou, nesta segunda-feira (29), a decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de alugar uma nova sede em Brasília.

Segundo o site UOL, Novaes declarou:

“Isso é a realidade de Brasília, nossa ilha da fantasia. Aqui, a importância de um órgão público é medida pelo tamanho e suntuosidade de sua sede. Construída a enorme sede, é preciso enchê-la de gente que, para justificar sua existência, inferniza a vida de cidadãos e empresas. E assim seguimos expandindo o monstro estatal.”

O CNJ, órgão que tem como atribuição fiscalizar o Poder Judiciário, se organiza para transferir sua estrutura para um novo prédio, de 30,9 mil metros quadrados, ao custo anual de R$ 23,3 milhões, incluindo condomínio.

A principal justificativa é a necessidade de dar mais “espaço” aos funcionários e garantir maior “proximidade” com o Supremo Tribunal Federal. A atual sede fica a dez minutos da Corte.

A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) também criticou a transferência do CNJ. Em seu perfil na rede social Twitter, no último domingo (28), ela questionou:

“Quando chegará o momento em que leremos notícias de que instituições decidiram mudar suas sedes para economizar o dinheiro público?”

E acrescentou:

“Não contente em gastar 16 milhões com aluguel, o CNJ mudará para prédio, cujo aluguel será 23 milhões!? Os funcionários precisam de espaço!?”

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email