Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Prisão preventiva para Keiko Fujimori por caso Odebrecht no Peru

Prisão preventiva para Keiko Fujimori por caso Odebrecht no Peru
COMPARTILHE

A Justiça peruana pôs fim neste sábado (24) a um mês de audiências contra a cúpula do partido Força Popular.

O resultado foi a prisão preventiva da líder do partido, Keiko Fujimori, e seis assessores por receber aportes ilegais da empreiteira brasileira Odebrecht.

A ordem judicial de captura internacional e prisão contra o ex-secretário-geral do partido, Jaime Yoshiyama, e o impedimento de saída do país do assessor Augusto Bedoya, encerraram um mês de audiências e resoluções judiciais contra 11 investigados da formação.

“A prisão preventiva se torna indispensável para conjurar o risco no processo, conforme evidenciado na conduta de Yoshiyama de eludir a Justiça”, declarou o juiz Concepción Carhuancho, ressaltando a presença do investigado nos Estados Unidos.

Yoshiyama atuou como secretário-geral do partido fujimorista na campanha presidencial de Keiko Fujimori em 2011, na qual disputou a vice-presidência do Peru.

 

Adaptado da fonte AFP

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

PUBLICIDADE