6 anos de prisão para senador da Colombia por caso Odebrecht

Twitter
Facebook
Google+
LinkedIn
Pinterest

A Corte Suprema de Justiça da Colômbia condenou nessa quarta-feira (28) a 6 anos e 8 meses de prisão o senador governista Bernardo Miguel Elías por tráfico de influência e por ter recebido propina da construtora brasileira Odebrecht.

A condenação é antecipada, já que o senador tem processos pendentes por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, que estão nas mãos da Corte, que definirá se os fecha ou convoca Elías para julgamento.

O senador admitiu no último dia 13 de dezembro, na Corte Suprema de Justiça, os crimes de suborno e tráfico de influência por ter favorecido a concessão da estrada Ocaña-Gamarra, no nordeste do país, do contrato da Rota do Sol II, para a multinacional brasileira.

A advogada de defesa Silvia Rugeles explicou em dezembro deste ano que Elías, preso desde agosto do ano passado, aceitou sua responsabilidade no crime de tráfico de influência porque emprestou sua casa para que Eleuberto Martorelli, ex-presidente da Odebrecht na Colômbia, e Luis Fernando Andrade, ex-diretor da Agência Nacional de Infraestrutura, se reunissem para falar sobre a construção e execução do contrato da estrada Ocaña-Gamarra.

Esse contrato foi outorgado à Odebrecht pelo Instituto Nacional de Concessões em 2012, depois de a empreiteira pagar US$ 6,5 milhões em propina a vários funcionários do governo, entre eles o ex-vice-ministro de Transporte, Gabriel García Morales.

O escândalo de corrupção envolvendo a empreiteira brasileira continua repercutindo internacionalmente. Ontem (28), noticiamos sobre uma nova delação que colocou o governo do Peru novamente nos holofotes.

Com informações de: [BOL]
Twitter
Facebook
Google+
LinkedIn
Pinterest

Isso também pode te interessar

Deixe seu comentário

Anunciante
e-consulters
Parceiro

Assine nossa Newsletter!

Preencha o formulário para assinar.

Nome Email
newsletter

Últimas publicações