PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Privatização dos Correios ‘vem aí’, diz Guedes

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Ministro está entusiasmado com uma possível privatização dos Correios.

PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

O ministro da Economia, Paulo Guedes, demonstrou entusiasmo com uma futura desestatização dos Correios.

A privatização da Eletrobras está dada. Vem aí os Correios também”, disse Guedes.

O comentário foi feito por Guedes, na última quarta-feira (23), durante encontro com empresários da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

No dia seguinte, Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara dos Deputados, afirmou que espera votar o projeto de privatização dos Correios até o dia 17 de julho, antes do recesso parlamentar.

No evento na Fiesp, Guedes disse que o saldo da votação da MP que abre caminho para a privatização da Eletrobras é “vastamente” positivo.

Dias atrás, a pasta de Guedes citou que a aprovação da MP no Congresso Nacional pode resultar na “maior privatização já vista no país”.

Os cofres públicos podem se beneficiar em mais de R$ 100 bilhões com uma possível desestatização da Eletrobras, segundo a pasta.

Guedes salientou que nunca foram aprovadas tantas medidas econômicas em tão pouco tempo, apesar da oposição ferrenha:

“Estamos numa democracia. A luta é encarniçada, muito difícil [mas] nunca se aprovaram tantas reformas.”

Ainda em seu discurso, Guedes enfatizou que o “Brasil foi o único país que fez reformas estruturantes em meio à pandemia” do novo coronavírus.

Na última segunda-feira, 21 de junho, a Câmara dos Deputados aprovou por 258 votos a 136, o texto-base da MP da Eletrobras.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Encontrou um erro?

Para comunicar um erro de português, de informação ou técnico, preencha o formulário abaixo.