Procurador-geral de NY renuncia após denúncia de mulheres

O procurador-geral do estado de Nova York, Eric Schneiderman, anunciou sua demissão nesta segunda-feira (7) após a publicação de um artigo no qual várias ex-companheiras o acusam de condutas violentas e ameaças.

Schneiderman avaliou que as acusações, que não estão relacionadas com sua atividade profissional, o impedem de “dirigir a procuradoria neste período crítico”, e anunciou sua demissão, que será efetiva na noite desta terça-feira (8).

O procurador-geral de NY é um crítico ferrenho de Donald Trump e ajudava o procurador especial Robert Mueller a tentar encontrar alguma evidência capaz de derrubar o presidente norte-americano.

De acordo com informações da Isto É:

“Nas últimas horas fizeram denúncias sérias contra mim, que contestei com firmeza”, declarou Schneiderman.

Em um artigo publicado no site da revista New Yorker, duas mulheres denunciaram abertamente Schneiderman, e outras duas fizeram acusações sob anonimato.

Mannig Barish, uma das supostas vítimas, garantiu ter mantido uma relação com Schneiderman entre o verão (boreal) de 2013 e o final de 2015, enquanto outra mulher, identificada no artigo como Tany Selvaratnam, revelou um relacionamento com o procurador entre o verão de 2016 e o outono de 2017.

As duas mulheres afirmam que foram agredidas por Schneiderman em várias ocasiões quando ele estava sob o efeito de bebidas alcoólicas, incluindo estrangulamentos, no que entenderam como uma tentativa de dominá-las física e psicologicamente.

Schneiderman, segundo as denunciantes, as ameaçava de morte caso abandonassem a relação.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia