Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Procuradores não terão sala VIP no aeroporto de Brasília

Procuradores não terão sala VIP no aeroporto de Brasília
Imagem: Bento Viana/Inframérica
COMPARTILHE

Membros do MPF queriam a sala VIP para proteção de agressões verbais ou físicas.

A Justiça Federal suspendeu, nesta terça-feira (8), a contratação de salas privativas para procuradores da República no aeroporto de Brasília

A decisão judicial ocorreu após ação popular movida pelo deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) contra o procurador-geral da República, Augusto Aras

As salas privativas seriam para resguardar os membros do Ministério Público Federal (MPF) de agressões verbais ou físicas das pessoas que criticam a instituição. 

Em sua decisão, o juiz Manoel Pedro Martins de Castro Filho considerou o ato ilegal: 

“Uma vez que os espaços de embarque já passam por controle para eliminar riscos à vida e à integridade física, não vislumbro, no presente caso, a existência de qualquer ameaça gravosa que a própria segurança do aeroporto não possa deter.” 

O magistrado apontou ainda o que chamou de “impulso ilegítimo preocupante”:  

“A pretensão de determinado segmento de agentes administrativos que deseja se apartar do povo que representam e em nome do qual atuam.” 

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
1 Comentário
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Maria
Maria
1 mês atrás

O mesmo deveria se estender a ministros do STF.

PUBLICIDADE