- PUBLICIDADE -

Professor condenado por xingar escritor Flávio Gordon de ‘fascista’

Professor condenado por xingar escritor Flávio Gordon de 'fascista'

- PUBLICIDADE -

Chamar alguém de fascista, entre outros adjetivos pejorativos, pode trazer sérias consequências para o ofensor.

O escritor e antropólogo Flávio Gordon ganhou uma ação na Justiça contra um ex-colega de faculdade que lançou uma série de xingamentos nas redes sociais por declarar voto no então candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, no ano passado.

Segundo a defesa do autor, “simplesmente por não concordar com o posicionamento policito ideológico do autor, que defendia um viés político ideológico mais conservador, durante o final da campanha política do ano 2018, o réu passou não apenas a insultá-lo, como também a promover uma verdadeira campanha objetivando denegrir a imagem e reputação do escritor”.

Xingado de fascista, assassino, canalha e oportunista, Gordon levará uma indenização de R$ 1 mil e terá postagens ofensivas a ele e sua família apagadas.

Professor universitário e autor das ofensas, segundo O Antagonista, Bernardo Curvelano Freire não apareceu na audiência de conciliação nem explicou no processo por que escreveu as mensagens.

“O dano moral configura-se nas hipóteses de lesão à dignidade humana, em sua mais ampla acepção, consubstanciando-se em todas as situações em que houver violação da cláusula geral de tutela da pessoa humana”, escreveu na sentença a juíza Carla Kacelnik, do Rio.

Chamar uma pessoa de fascista é crime contra honra. É considerado Injúria. Quem declarou isso foi a Justiça do Brasil em dois casos recentes. Foi alvo deste xingamento? Saiba como denunciar este crime.

PUBLICIDADE

- PUBLICIDADE -

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit

- PUBLICIDADE -

- PUBLICIDADE -

- PUBLICIDADE -