Português   English   Español

Professor pró-Bolsonaro processa alunos que o chamaram de “fascista”

Professor pró-Bolsonaro processa alunos que o chamaram de “fascista”

O professor de Direito Previdenciário da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Arthur Weintraub, é integrante da equipe do governo de transição que discute a reforma da Previdência.

O docente processou dois estudantes que o criticaram nas redes sociais por colaborar com o presidente eleito Jair Bolsonaro o classificando como “mau caráter” e “fascista”.

Arthur Weintraub foi nomeado na última semana como um dos integrantes do governo de transição, com salário de R$ 13.036,74. Seu irmão, Abraham Weintraub, economista, também participa da equipe que discute a previdência social .

O professor protocolou duas ações entre abril e maio deste ano. Uma delas pede indenização por danos morais no valor mínimo de R$ 5 mil. Outra, de caráter criminal, acusa os estudantes de injúria e difamação.

A celeuma começou no fim de 2017, quando Bolsonaro apresentou Weintraub como um de seus colaboradores. A revelação mobilizou calorosas discussões na Unifesp.

O Centro Acadêmico de Economia da unidade de Osasco (SP) divulgou uma nota, em 17 de novembro do ano passado, em que manifestou repúdio ao apoio do professor ao então pré-candidato do PSL.

Os dois estudantes processados, Linna Rocha e Rodrigo de Freitas, fizeram comentários em que apoiaram o manifesto e criticaram o professor e o candidato.

 

Adaptado da fonte Gazeta Online

Deixe seu comentário

Veja também...