Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Professora de Oxford parabeniza Brasil por estratégia de dose única

Professora de Oxford parabeniza Brasil por estratégia de dose única
Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
COMPARTILHE

A vacina de Oxford permite que a segunda dose seja aplicada apenas 90 dias depois da primeira.

Sue Ann Costa, professora da Universidade de Oxford, no Reino Unido, afirmou que o Brasil acertou ao aplicar as 2 milhões de doses da vacina contra o coronavírus, sem reservar as doses de reforço. 

O imunizante está sendo produzido pela farmacêutica AstraZeneca, em parceria com Oxford. 

A vacina permite que a segunda dose seja aplicada apenas 90 dias depois da primeira. 

Em entrevista à CNN Brasil, Ann Costa declarou: 

“A vantagem dessa vacina é ter esse espaço de 90 dias entre uma dose e a dose de reforço. A imunização primária já acontece após uma dose. Isso é uma vantagem grande. Já temos isso no Lancet [revista científica] e vamos submeter nessa semana mais um artigo explorando todas essas nuances de uma dose, que não foi tão bem explorada no artigo passado.”  

A pesquisadora coordenou pesquisas da vacina de Oxford no Brasil.  

Segundo ela, os desenvolvedores sempre acreditaram que ela teria um efeito importante desde a primeira dose: 

“Começamos o estudo com uma dose. A gente sempre acreditou que essa vacina conferisse imunidade após a primeira dose. (…) Tenho certeza que, após a primeira dose, ela já protege por 3 meses, com 70% de eficácia para casos leves e moderados. E 100% para casos graves e hospitalização. Isso é super importante.” 

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
1 Comentário
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
patrice
patrice
30 dias atrás

Nos EUA unidos o governo federal interfere na política de aborto despejando bilhões de dólares disfarçado de programa de planejamento familiar na rede de Planned Parenthood Federation of America . Que estranhamente não tem competição no mercado. Além do governo federal sustentar as mulheres pagam . Meio que uma Lei Rouanet dos bebês .Assim que o governo federal interfere . E além disso , promovia uma politica para revogar o caso Roe v. Wade.. Inclusive , há um parecer jurídico favorável da revogação. Logo , é assim que a esfera federal se pode interferir , corta dinheiro dessa
 rede milionária que ainda vende os pedaços dos bebes, cobra das mulheres e promover uma politica pró-vida que culmine na revogação do caso que foi precedente para a aprovação do aborto. Só existe legislação sobre o aborto nos Estados Unidos porque há o parecer na esfera federal . Se derrubarem o caso , todos os estados deverão revogar..