Português   English   Español

Proibição do celular funciona em 90% das escolas da França

Cerca de um mês e meio depois da adoção da nova medida, que entrou em vigor nas escolas de ensino médio, o governo francês faz um balanço positivo da adesão dos estabelecimentos à decisão.

Em entrevista à rádio francesa France Inter, o ministro da Educação Nacional, Jean-Michel Blanquer, disse que é provável que “mais de 90% das escolas respeitam a proibição,” adotada no início do ano letivo francês, em setembro.

O objetivo é diminuir à exposição às telas, as diferenças entre alunos que possuem um aparelho ou não, e também limitar os riscos de bullying. A única exceção é para o uso pedagógico da ferramenta.

Na prática, a legislação francesa já previa a interdição nas salas de aula, mas o que o governo francês pretende é limitar o uso nos corredores, pátios e outros locais.

“Nosso objetivo é que a medida seja aplicada em 100% das escolas”, disse. “Algumas pediram um prazo até o recesso de Finados (que começa na próxima segunda-feira) para se adaptar corretamente à regulamentação interna. Aceitamos esse tempo de adaptação”, explicou. Cerca de 58 mil estabelecimentos devem se alinhar à medida em todo o país.

Período de adaptação

Muitas escolas (e alunos) ainda estão se adaptando à nova realidade. A proposta do governo incluía a instalação de armários onde alunos pudessem deixar o aparelho chegando à escola, mas muitos diretores não puderem aderir à ideia.

É o caso do colégio e liceu Jean de la Fontaine, no 16° distrito da capital. “Não instalamos os armários por questões financeiras. Agora será necessário determinar o que faremos com o aparelho se ele for confiscado de um aluno que não respeitar a lei”, disse a diretora da escola, Marianne Dodinet, em entrevista à France Info.

 

Adaptado da fonte RFI

Deixe seu comentário

Veja também...