Projeto no Congresso proíbe ‘canetada’ de ministros do STF para suspender leis

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Proposta reduz o poder individual de ministro-relator para decidir sobre ação via liminar. Medida foi aprovada na CCJ da Câmara em caráter terminativo e seguiu para o Senado.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou na terça-feira (3) um projeto para proibir que ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) concedam liminar (decisão provisória) em dois tipos de ações que têm poder de suspender leis – a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) e a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF).

O projeto de lei proposto pelo deputado Wadih Damous (PT-RJ) e aprovado na CCJ tem caráter terminativo e segue direto para o Senado, sem precisar passar pelo plenário da Câmara, a menos que parlamentares apresentem recurso.

A medida reduz o poder individual do ministro-relator para decidir sobre a ação. Se aprovada, as liminares só poderão ser concedidas após julgamento pelo plenário do Supremo, ou seja, pelos 11 ministros que compõem o STF.

 

Com informações da Gazeta do Povo

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.