PSL entra com representação contra Ministério Público

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Apresentadas à Corregedoria Geral do Ministério Público do Rio de Janeiro, as representações são de autoria do diretório do PSL.

O procurador-geral de Justiça do Rio, Eduardo Gussem, e o promotor Cláucio Cardoso da Conceição foram alvos de representações disciplinares apresentadas pelo Partido Social Liberal (PSL).

O motivo é a suposta atuação irregular dos dois na investigação aberta a partir da descoberta de movimentação financeira atípica em uma conta de Fabrício Queiroz, ex-assessor do hoje senador Flávio Bolsonaro (PSL) na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

As representações foram assinadas por nove deputados federais e oito estaduais, além do próprio Flávio, informa o jornalista Fausto Macedo.

Nas representações, os parlamentares afirmam ainda que Conceição e Gussem agiram juntos com o objetivo de “apresentar ao Brasil, com tintas vermelhas de sangue, as figuras transfiguradas como culpadas e condenadas” de Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz.

Os integrantes do Ministério Público são acusados de cometer seis irregularidades:

  • Negligência no exercício de suas funções;
  • Descumprimento de dever funcional;
  • Infringência de vedação;
  • Procedimento reprovável;
  • Conduta que denotou desrespeito às leis vigentes e à própria instituição;
  • Revelação de segredo que detinha em razão do cargo.

O PSL requer que seja instaurado procedimento para que ambos respondam por essas condutas.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.