‘Querem punir quem ajuda Bolsonaro’, diz Paulo Guedes

Twitter
Facebook
Google+
LinkedIn
Pinterest

O economista Paulo Guedes afirmou que não quis “ofender políticos” que não conhece ao falar sobre Sarney, Temer e Aécio em entrevista à Piauí, que será publicada nesta terça-feira (4).

Segundo o blog de Lauro Jardim, no jornal O Globo, o futuro Ministro da Fazenda em um governo encabeçado por Jair Bolsonaro (PSL), Paulo Guedes reclamou da discriminação sofrida de seus pares:

Os caras estão me me atacando, porque tô tentando ajudar o País. Todo mundo trabalhou para o Aécio, ladrão e maconheiro; para o Temer, ladrão; e pro Sarney, ladrão e mau caráter.

Ao portal BR18, o economista afirmou:

Políticos da ‘velha política’ foram acusados de tudo, mas os economistas que os ajudaram não são questionados. Esse foi o teor de meu depoimento.

E acrescentou:

Para muita gente, ajudar Bolsonaro é algo que merece punição. O que quero é ajudar o meu país a sair da armadilha da corrupção sistêmica e do baixo crescimento, com um programa liberal.

Paulo Guedes também enviou nota ao O Antagonista em relação à chamada da revista Piauí:

Fiquei surpreso e decepcionado com o tom da chamada da revista Piauí, que me atribui acusações contra José Sarney, Aécio Neves e Michel Temer. Minhas declarações foram retiradas de contexto para provocar cizânia. Lamento que uma conversa informal tenha sido transformada numa peça acusatória contra políticos que mal conheço.

Ele adicionou:

Sofro discriminação por apoiar o Jair Bolsonaro. Outros economistas, que apoiaram Sarney, Aécio e Temer – que representam a velha política e foram alvos de várias acusações – recebem tratamento totalmente diferente. A velha imprensa também está desesperada.

Twitter
Facebook
Google+
LinkedIn
Pinterest

Isso também pode te interessar

Deixe seu comentário

Anunciante
e-consulters
Parceiro

Assine nossa Newsletter!

Preencha o formulário para assinar.

Nome Email
newsletter

Últimas publicações