Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Ratos invadem atol paradisíaco no Oceano Pacífico

REDAÇÃO RENOVA Mídia

REDAÇÃO RENOVA Mídia

Ratos invadem atol paradisíaco no Oceano Pacífico
COMPARTILHE

Navios trouxeram uma série de passageiros clandestinos para a ilha: ratos pretos.

Palmyra era um atol isolado e tranquilo do Oceano Pacífico até que ser alvo de uma invasão de ratos no século 20, modificando toda a ecologia local.

Durante a Segunda Guerra Mundial, os militares dos Estados Unidos estacionaram milhares de marinheiros no atol de Palmyra.

Além dos soldados, os navios também trouxeram uma série de passageiros clandestinos para a ilha: ratos pretos. 

Na quente e úmida Palmira, os roedores prosperaram, multiplicando-se de forma rápida, com caranguejos jovens, mudas de árvores, ovos e filhotes de aves marinhas no cardápio. 

O vídeo abaixo mostra a construção de uma pista de pouso no atol de Palmyra, em 1942, pelo Exército dos EUA.

Coqueiros invasores de plantações abandonadas também representaram mais problemas para os pássaros, privando-os de seu habitat nativo.

No final do século, os ratos e os coqueiros transformaram todo o ecossistema do atol. 

Oito espécies de aves marinhas que vagavam pela área mais ampla sumiram — de acordo com os conservacionistas, possivelmente porque os ratos as levaram à extinção local. 

Os ratos são capazes de destruir a população de aves marinhas de uma ilha e, consequentemente, seu suprimento de nutrientes. Os excrementos de rato apenas reciclam o que já existe na ilha, pois não adicionam novos nutrientes.

“Quando cheguei a Palmyra, os ratos estavam em todos os lugares”, afirmou Alex Wegmann, diretor de ciência da “The Nature Conservancy”, uma organização ambiental sem fins lucrativos que comprou o atol de proprietários privados em 2000.

O vídeo abaixo mostra imagens incríveis do atol de Palmyra. Felizmente, não há ratos na gravação.

- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram