Reforma mantém ‘espinha dorsal’ do projeto do governo, diz Marinho

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

“A reforma por si só não é uma panaceia, mas vai dar uma segurança para que o investidor se sinta confortável para investir no país”, afirmou Marinho.

O secretário da Previdência e do Trabalho, Rogério Marinho, afirmou que o texto da reforma da Previdência que foi aprovado em primeiro turno pelos deputados é “extremamente vigoroso”.

Em entrevista à rádio CBN, nesta quarta-feira (24), Marinho disse a PEC tramitando no Congresso mantém a “espinha dorsal” do projeto original enviado pelo governo do presidente Jair Bolsonaro.

O secretário lamentou, no entanto, que alguns pontos tenham sido retirados da proposta:

“Com essa reforma atual, calculo que após 10, 15, 20 anos precisaremos nos debruçar de novo para fazer um ajuste. A reforma por si só não é uma panaceia, mas vai dar uma segurança para que o investidor se sinta confortável para investir no país.”

Sobre a retirada de estados e municípios do texto, Marinho disse que a decisão foi política, principalmente devido à contrariedade dos governadores do Nordeste.

Segundo Marinho, o tema da reforma da Previdência é um consenso no Senado e tudo indica que os senadores vão aprovar o texto da forma que sair da Câmara e criar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para tratar da reforma nos entes federativos, informa o jornal Metrópoles.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.