Português   English   Español

Refugiado egípcio é condenado por estuprar menina de 14 anos

O imigrante ilegal maior de idade entrou na Inglaterra se passando por uma criança refugiada da Síria.

Na Corte de Brighton Crown, Karam Majdi, que agora diz ter 19 anos, foi avisado que seria deportado após cumprir metade da pena de 7 anos em uma unidade prisional para adolescentes.

Após entrar ilegalmente no Reino Unido em 2016, Majdi alegou ter fugido da guerra em Alepo. Mas, de acordo com o jornal Daily Mail, as autoridades britânicas acreditam que ele mentiu e, na verdade, é do Egito.

Mesmo com o pedido de asilo negado, ele teve direito a serviços “excelentes” e a uma assistência bancada com o dinheiro dos pagadores de impostos.

Em um julgamento que durou cinco dias, ele foi considerado culpado pelo estupro de uma garota de 14 anos que conheceu através de uma rede social, onde usava o apelido de “Mano Love”.

A procuradoria disse que um grupo de 4 pessoas, incluindo Majdi e a garota, estavam assistindo um filme após usarem drogas quando o réu “começou a tocá-la”.

A procuradora Henrietta Paget explicou:

Ela disse que não queria fazer aquilo. Mandou ele parar, mas ele insistiu e ficou em cima dela. Ela contou à polícia que permaneceu deitada, enfraquecida, e depois tirou fotos dos machucados que tinha nas pernas e na cintura.

O detetive Constable Stewart Cameron, da Unidade de Investigações de Brighton, disse:

Assim que soubemos do incidente, começamos as investigações e Majdi foi identificado rapidamente. Ele havia marcado um encontro com a garota e amigos dela e se aproveitou da pouca idade e inocência da menina para explorá-la e satisfazer suas vontades sexuais.

E continuou:

Nós garantimos que a vítima tivesse acesso a apoio e aconselhamento para ajuda-la a superar o acontecido, mas mesmo assim ela mal forneceu evidências contra Majdi durante o julgamento.

Na hora de dar a sentença, a juíza Shani Barnes disse que Majdi teve à sua disposição ajuda de assistentes sociais e serviços públicos para que ele “se tornasse um membro funcional da comunidade”.

Apesar disso, o refugiado se negou a seguir “as mais simples regras de comportamento” enquanto estava na Inglaterra, continuou a magistrada.

 

Traduzida e adaptada de Breitbart

Deixe seu comentário...

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter