Regime da Nicarágua acusa líder da oposição de terrorismo

Francisco Fajardo foi preso com a mulher ao fugir para a Costa Rica; grupos dizem que eles são reféns do regime de Daniel Ortega.

O Ministério Público da Nicarágua acusou no domingo (29) um dos líderes do denominado “Movimento 19 de Abril”, da cidade rebelde de Masaya, pelos delitos de crime organizado e terrorismo.

Este é mais uma capítulo da crise sociopolítica causada pela forte repressão imposta pelo regime do esquerdista Daniel Ortega contra a população da Nicarágua. A onda de violência no país centro-americano já deixou entre 295 e 448 mortos desde abril.

Cristhian Fajardo, de 37 anos, e sua mulher, María Adilia Peralta Cerrato, de 30 anos, também foram acusados pelo crime de financiamento ao terrorismo e obstrução dos serviços públicos em detrimento do Estado e da sociedade nicaraguense, segundo a Procuradoria.

Organizações humanitárias da Nicarágua classificaram essa detenção como um sequestro, já que se deu em condições semelhantes às que resultaram na prisão de mais de 700 pessoas que protestaram contra o regime, e porque Fajardo não tinha nenhuma pendência jurídica no país.

 

Adaptado da fonte Estadão
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia