Regime militar no Mianmar prende mais dois jornalistas

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Mianmar permanece repleto de instabilidade e oposição ao comando do Exército.

No mais recente capítulo da repressão à imprensa desde o golpe de 1º de fevereiro, o regime militar do Mianmar prendeu mais dois jornalistas locais.

A informação foi divulgada, neste sábado (21), na emissora de televisão do Exército.

Sithu Aung Mying, colunista do site de notícias Frontier Myanmar e comentarista da rádio Voice of America, foi indiciado por sedição e disseminação de informações falsas em publicações nas redes sociais.

Htet Htet Khine, freelancer que havia trabalhado para BBC Burmese, foi acusada de abrigar um suspeito procurado e por trabalhar e ajudar o governo paralelo da União Nacional.

O Exército, que revogou as licenças de muitos veículos de imprensa, diz que respeita o papel da mídia, mas que não tolerará a veiculação de fake news ou que possam criar inquietações do público.

A ONG Human Rights Watch afirmou que o governo militar prendeu 98 jornalistas desde o golpe. Dos presos, 46 permaneciam sob custódia até o fim de julho.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.