Registro de armas cresce apenas 3,6% no Brasil após Bolsonaro

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

As informações foram obtidas através do do Sistema Nacional de Armas (Sinarm) da Polícia Federal (PF).

A política de flexibilização da posse e do porte de armas do governo do presidente da República, Jair Bolsonaro, não teve um amplo impacto sobre o total de armas legais em circulação no Brasil.

De acordo com dados do Sistema Nacional de Armas (Sinarm) da Polícia Federal (PF), o total de armas registradas no País era no dia 30 de abril deste ano apenas 3,6% maior do que o total registrado pelo Sinarm em 30 de junho de 2018.

A alta foi, no entanto, puxada pelos registros ativos feitos por pessoas físicas, que tiveram aumento de 5,7% no período.

Não houve também nenhum impacto sobre o total de homicídios registrados nos País – há 17 meses eles estão em queda, um movimento que atinge 25 das 27 unidades da Federação.

Além do total de armas registradas no País, a PF também constatou em 2019 um aumento da média mensal de pedidos de novos registros e renovações de antigos. Nesse caso, o crescimento foi de 3,4%.

A reportagem do UOL obteve os dados da PF por meio da Lei de Acesso à Informação – parte em 2018 e parte em 2019.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.