Relatório dos EUA conecta príncipe saudita com assassinato

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Relatório norte-americano acusa príncipe saudita pela morte de jornalista.

Um relatório da inteligência dos Estados Unidos atribui ao príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Muhammad bin Salman, a responsabilidade pela morte do jornalista Jamal Khashoggi.

O homicídio aconteceu em 2018. Já o relatório norte-americano foi divulgado nesta sexta-feira (26).

Khashoggi foi assassinado dentro da embaixada da Arábia Saudita em Ancara, na Turquia.

O jornalista, que foi correspondente do Washington Post e era um crítico ferrenho do governo saudita, entrou no local para buscar uma certidão para poder se casar com sua noiva turca. 

De autoria do gabinete do diretor de Inteligência Nacional, o documento aponta:

“Avaliamos que o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Muhammad bin Salman, aprovou uma operação em Istambul, na Turquia, para capturar ou matar o jornalista saudita Jamal Khashoggi.”

E acrescenta:

“Baseamos esta avaliação no controle do Príncipe Herdeiro da tomada de decisões no Reino, no envolvimento direto de um conselheiro-chave e membros da equipe de proteção de Muhammad bin Salman na operação e no apoio do Príncipe Herdeiro ao uso de medidas violentas para silenciar dissidentes no exterior, incluindo Khashoggi.”

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.