Repressão do governo na Nicarágua já deixa 212 mortos

Idiomas:

Português   English   Español
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) informou nesta sexta-feira (22) que o número de mortos “pela ação repressiva do Estado” no contexto dos protestos contra o governo na Nicarágua chegou a 212.

Em relatório, a Comissão observa que “a ação repressiva do Estado produziu pelo menos 212 pessoas mortas até 19 de junho, 1.337 pessoas feridas e 507 pessoas privadas de liberdade registradas até 6 de junho”.

‘A Comissão conclui que o Estado da Nicarágua violou os direitos à vida, integridade pessoal, saúde, liberdade pessoal, reunião, liberdade de expressão e acesso à justiça’, afirma o relatório de 97 páginas.

No documento, a CIDH chegou à conclusão de que “a violência do Estado tem como objetivo desestimular a participação em manifestações e reprimir essa expressão de dissensão política”.

Portanto, a Comissão faz um apelo ao governo da Nicarágua “para alcançar uma solução constitucional, democrática e pacífica para esta crise de direitos humanos”.

Este relatório foi apresentado nesta sexta-feira em uma sessão extraordinária do Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA) em Washington.

 

Com informações da Isto É

Newsletter RENOVA

Receba diariamente as principais notícias do Brasil e do Mundo.

Curta e compartilhe esta notícia

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário

Veja outras notícias em destaque