República Checa diz que UE não decide quem deve viver no país

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O novo primeiro-ministro da República Checa, Andrej Babis, disse que não há a menor chance do governo do país aceitar refugiados como parte do sistema de cotas da União Europeia.

Em discurso ao parlamento checo, Babis declarou:

Nós certamente não aceitaremos ninguém. Estamos decididos contra qualquer um que nos ditem quem deve viver e trabalhar em nosso país. Estas cotas dividem a Europa e não são eficazes.

Juntamente com outros países da Europa Oriental, a República Checa enfrenta um processo judicial da União Europeia pelo fato de não aceitar realocação de migrantes da Itália e da Grécia.

“Nós consideramos absurdo que a Comissão Europeia nos processe por algo que seja bobagem”, disse Babis.

A oposição contra os planos da UE para realocação de migrantes está crescendo, já que países como a Áustria, a Croácia e a Bulgária parecem estar se juntando aos quatro países do Grupo de Visegrad: Eslováquia, Hungria, Polônia e República Checa.

 

Com informações de: [PM]

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.