PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Revista IstoÉ será processada por matéria antissemita

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

A matéria foi publicada na edição da revista IstoÉ que chegou às bancas na última sexta-feira (8).

A Confederação Israelita do Brasil (Conib) e a Federação Israelita do Estado de São Paulo (Fisesp) vão processar criminalmente a revista IstoÉ.

O motivo do processo é uma reportagem em que a revista se refere ao secretário Especial de Comunicação Social da Presidência da República, Fábio Wajngarten, como “o Goebbles do Planalto”.

O rótulo aplicado pela revista contra Wajngarten é uma referência a Joseph Goebbels, chefe do departamento de propaganda do regime nazista de Adolf Hitler, na Alemanha, em 1930. 

Em uma nota conjunta, segundo o jornal Folha de S. Paulo, as entidades judaicas classificaram o conteúdo da IstoÉ como antissemita:

“O texto comparando um membro de nossa comunidade ao carrasco nazista e montando um quadro ilustrativo intitulado ‘a manipulação da colônia judaica’ ultrapassou a barreira do jornalismo ético e informativo que todos nós prezamos enquanto brasileiro.”

Leia abaixo a íntegra da nota assinada pela Conib e pela Fisesp:

“Não vamos calar, não vamos admitir, não vamos silenciar

Na última sexta-feira, 08 de novembro, a comunidade judaica foi surpreendida pela edição semanal nº 2.602 da Revista IstoÉ que a pretexto de abordar questões da política nacional enveredou para uma matéria com conteúdo claramente antissemita.

O texto intitulado ‘O Goebbels do Planalto’ comparando um membro de nossa comunidade, Fábio Wajngarten, ao carrasco nazista e montando um quadro ilustrativo intitulado ‘a manipulação da colônia judaica’ ultrapassou a barreira do jornalismo ético e informativo que todos nós prezamos enquanto brasileiros.

Pela exiguidade do tempo disponível na tarde da última sexta-feira e em respeito ao Shabat, a Confederação Israelita do Brasil (Conib) e a Federação Israelita do Estado de São Paulo (Fisesp), assim como federações de outros estados, limitaram-se a lanar uma nota de repúdio, além de contatar o editor da revista, manifestando seu desagravo com o teor da matéria.

A Conib e a Fisesp, enquanto representantes da comunidade judaica, tomarão as medidas judiciais cabíveis para que manifestações de cunho claramente antissemita não sejam toleradas. Na data de ontem, domingo, 10 de novembro, foi formalizada a contratação dos advogados criminalistas José Luis Oliveira Lima e Daniel Kignel que atuarão pro bono em nome da comunidade judaica analisando e propondo as medidas judiciais a serem tomadas.

A liberdade de imprensa que tanto valorizamos não pode se confundir com a discriminação e com o antissemitismo. Não vamos calar, não vamos admitir, não vamos silenciar.

Conib – Confederação Israelita do Brasil

Fisesp – Federação Israelita do Estado de São Paulo”

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Encontrou um erro?

Para comunicar um erro de português, de informação ou técnico, preencha o formulário abaixo.