Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Robô alertou sobre o coronavírus com antecedência

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Esta não foi a primeira vez que o robô BluDot, lançado em 2014, previu o surgimento de um surto.
Imagem: Reprodução/Twitter

Esta não foi a primeira vez que o robô BluDot, lançado em 2014, previu o surgimento de um surto.

Os primeiros avisos sobre a nova variante mortal de coronavírus não vieram dos governos ou da Organização Mundial de Saúde (OMS), e sim de um robô no Canadá.

O BluDot, uma plataforma de monitoramento de saúde por meio da inteligência artificial, enviou aos usuários um alerta sobre o surto em 31 de dezembro, segundo a emissora Fox News.

A OMS só veio a divulgar notícias sobre o surto no dia 9 de janeiro.

Administrada por uma equipe de médicos e programadores, a plataforma utiliza um sofisticado programa de vigilância de doenças para vasculhar notícias em 65 idiomas, além de dados de companhias aéreas, para identificar problemas e alertar os usuários a evitar determinadas áreas, como Wuhan, na China, onde o coronavírus surto começou.

“Ajudamos governos a proteger seus cidadãos, hospitais protegem sua equipe e pacientes e empresas protegem seus funcionários e clientes”, diz o site da BluDot.

A plataforma foi criada por Kamran Khan, fundador e CEO da marca. 

Em uma reportagem da Wired, Khan disse que após a inteligência artificial analisar dados, usando o aprendizado de máquina para classificar tendências e outros paralelos, os epidemiologistas garantem que as conclusões e previsões sejam precisas antes que alertas sejam enviados a usuários, funcionários do governo e outras empresas.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email