Rússia e China blindam a ditadura da Coreia do Norte

Estados Unidos tentaram impor novas sanções à Coreia do Norte, mas esforço conjunto conseguiu bloquear as novas medidas.

A Rússia e a China trabalharam juntas para impedir que novas sanções dos Estados Unidos fossem aplicadas à Coreia do Norte. Na última quinta-feira (9), os países conseguiram bloquear uma nova rodada de medidas contra os norte-coreanos.

Isso porque, na semana passada, os Estados Unidos solicitaram ao comitê da Organização das Nações Unidas (ONU) o congelamento dos ativos do Agrosoyuz Commercial Bank, da Rússia, e de duas empresas da Coreia do Norte. Os americanos acusavam o banco russo de ajudar as companhias norte-coreanas a driblar antigas medidas.

Além das empresas norte-coreanas e do banco russo, os Estados Unidos também queriam impor sanções a Ri Jong-won, do Banco de Comércio Exterior da Coreia do Norte. Para conseguir esse bloqueio de sanções, a Rússia questionou as acusações, enquanto a China anunciou que se oporia a possíveis medidas.

Mesmo após o encontro entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, a situação diplomática da Península Coreana parece não ter melhorado.

Os americanos continuam fazendo valer as suas sanções ao país, condicionando o término das medidas punitivas à desnuclearização completa da Coreia do Norte.

 

Com informações de Opinião e Notícia
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia