Português   English   Español

Russos morreram em bombardeio dos EUA na Síria

Ministério da Defesa da Rússia confirmou morte de russos em bombardeio dos EUA contra alvos da Síria em província no leste do país.

Uma semana atrás, publicamos uma notícia sobre ataques aéreos da coalizão liderada pelos Estados Unidos contra posições do exército da Síria que deixaram mais de 100 mortos na província de Deir Ezzor.

De acordo com informações dessa quarta-feira (14/02) da agência EFE:

Segundo os ativistas, estes mercenários eram membros de uma companhia militar privada chamada Wagner, que tem uma base de treinamento no sul da Rússia e que coordena suas operações com o Ministério da Defesa.

Tudo indica que os combatentes morreram durante o bombardeio lançado pelos Estados Unidos contra milícias aliadas do regime de Bashar al Assad que entraram em combate com as Forças da Síria Democrática, uma aliança liderada pelos curdos e respaldada por Washington.

“Continuam chegando para nós novos nomes de russos que morreram nesse bombardeio, e acreditamos que quando for confirmado, estaremos falando de 30 mercenários russos mortos nesse bombardeio”, advertiu Leviev.

A mídia russa de notícias Sputnik publicou horas atrás:

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia confirmou previamente a morte de cinco russos na Síria em um ataque da coalizão internacional liderada pelos EUA, mas a cidadania deles ainda precisa ser confirmada, declarou a representante oficial da chancelaria russa, Maria Zakharova.

“Segundo os dados preliminares, como resultado de um confronto armado, cujas razões estão sendo apuradas, podem ter sido mortos cinco cidadãos provavelmente russos. Há também vítimas, mas todos os dados precisam ser verificados, em primeiro lugar a nacionalidade”, afirmou a representante.

Segundo Zakharova, a informação sobre centenas de cidadãos russos mortos na Síria é uma “desinformação” por parte das forças antigovernamentais, sublinhando que não se trata também de vítimas entre militares russos.

Como de costume na guerra da Síria, a história está bastante mal contada.

O que sabemos de fato é que jatos da coalizão liderada pelos Estados Unidos atacaram alvos militares do exército da Síria, que recebem apoio de tropas e mercenários da Rússia na rica província petrolífera de Deir Ezzor. O governo Putin confirmou mortes no bombardeio, mas alegou que as vítimas eram civis. Por outro lado, ativistas conectados com facções jihadistas alegam que vários soldados russos morreram no ataque.

Deixe seu comentário...

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter