PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Salles avança iniciativa que transforma resíduos sólidos em energia

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

“Cada tonelada de lixo reaproveitada contribui para a redução de gases de efeito estufa”, diz Salles.

PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, vai assinar, nesta segunda-feira (14), um acordo de cooperação para ampliar o aproveitamento do lixo como fonte de energia no Brasil.

O acordo será assinado em parceria com as associações ABCP, ABETRE, ABRELPE e ABIOGAS, que integram a Frente Brasil de Recuperação Energética de Resíduos (FBRER).

O objetivo, segundo informações da assessoria do Ministério do Meio Ambiente, é impulsionar a recuperação energética de resíduos sólidos. 

Em destaque no acordo há o desenvolvimento do Atlas de Recuperação Energética de Resíduos Sólidos, uma ferramenta digital que indicará as regiões com maior potencial para investimentos em recuperação energética de resíduos sólidos. 

Apenas no Leilão de Energia Nova A-5/2021, foram cadastrados 12 projetos, com um potencial de geração de energia elétrica para 40 milhões de brasileiros ao ano, a partir de a partir do aproveitamento energético de 15 mil toneladas de lixo por dia, totalizando mais de 5,5 milhões de toneladas ao ano que deixarão de ser enterradas.

O ministro Ricardo Salles enfatizou o potencial da sustentabilidade energética da ação: 

“O que esse novo atlas vai indicar é um grande potencial energético, esperando para ser convertido em eletricidade para o setor produtivo, e de forma mais sustentável.” 

Salles acrescentou:

“Cada tonelada de lixo reaproveitada contribui para a redução de mais de 1,3 tonelada de gases de efeito estufa. Por outro lado, você acaba com o caos no lixo que se alastrou nas últimas décadas.”

Entre outros frutos do acordo que será assinado nas próximas horas nós podemos citar:

  • Integração de informações setoriais e de infraestrutura sobre recuperação energética no SINIR;
  • Modernização normativa;
  • Desenvolvimento de conteúdos para a qualificação de órgãos ambientais e consórcios públicos.
  • Encerramento de lixões;
  • Redução da quantidade de resíduos dispostos em aterros sanitários.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Encontrou um erro?

Para comunicar um erro de português, de informação ou técnico, preencha o formulário abaixo.