Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Satélite brasileiro Amazônia-1 passa por teste de termovácuo

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Satélite brasileiro Amazônia-1 passa por teste de termovácuo
COMPARTILHE

Satélite permanecerá cerca de três semanas ininterruptas no interior da câmara vácuo térmica.

O Amazônia-1 é o primeiro satélite de observação da Terra completamente projetado, integrado, testado e operado pelo Brasil.

O satélite está sendo construído para fornecer dados de sensoriamento remoto com o objetivo de observar e monitorar o desmatamento na Amazônia

No site oficial do projeto, a equipe diz que outro objetivo do satélite é contribuir com a “diversificada agricultura em todo o território nacional com uma alta taxa de revisita, buscando atuar em sinergia com os programas ambientais existentes”.

Na última sexta-feira (18) teve início o teste de termovácuo do modelo de voo do Amazônia-1.

Durante o ensaio termovácuo, são simuladas através as condições do ambiente espacial, em termos de temperatura, pressão e carga térmica, e em termos de radiação absorvida pelas superfícies do satélite, quando em órbita.

Para o satélite Amazônia-1, o Laboratório de Integração e Testes do INPE, utilizou sua maior câmara vácuo térmica, com entrada de 6 por 8 metros. 

Nela o ambiente espacial foi simulado em dimensões, propriedades termo-ópticas, temperatura e nível de vácuo adequados. Já a carga térmica foi simulada através de dissipadores elétricos de calor instalados sobre a superfície do satélite.

“Durante o teste termovácuo do Satélite Amazônia-1, está previsto que ele permaneça cerca de três semanas ininterruptas no interior da câmara vácuo térmica, exposto a um ambiente de alto vácuo e a uma sequência predefinida com perfil de cargas térmicas impostas sobre sua superfície”, destaca o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

“Adicionalmente, o Amazônia-1 será operado e monitorado 24 horas por dia, por diversas equipes de engenheiros e técnicos, se revezando em turnos”, acrescenta a pasta.

- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram