Sem Moro, Lava Jato volta à ativa com foco no sítio de Lula

Idiomas:

Português   English   Español
Sem Moro, Lava Jato volta à ativa com foco no sítio de Lula
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Juíza substituta da 13ª Vara Federal, Gabriela Hardt vai começar a interrogar réus no processo referente ao sítio em Atibaia nesta segunda-feira (5). Lula será ouvido dia 14 de novembro.


A partir desta segunda-feira (5), a Operação Lava Jato volta à ativa na Justiça Federal em Curitiba, já sem o juiz federal Sergio Moro, que aceitou o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para ser ministro da Justiça.

Em nota enviada à imprensa na última quinta-feira (1), Moro anunciou que se afastava desde já das audiências da operação.

A expectativa, portanto, é que a juíza substituta Gabriela Hardt assuma a tramitação dos processos até que um novo juiz seja nomeado titular da 13.ª Vara da Justiça Federal.

Siga a RENOVA no TWITTER e acompanhe todas as notícias em tempo real.

Nesta segunda-feira (5), ela vai começar a interrogar os réus do processo referente ao sítio em Atibaia. Ao todo, cinco acusados vão ficar cara a cara com a juíza até o dia 14 de novembro – data reservada para ouvir o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O interrogatório dos réus marca a fase final de produção de provas no processo.

Enquanto conduzia o processo, Moro já ouviu as testemunhas de acusação e defesa. Depois de interrogar os réus, Gabriela Hardt pode abrir o prazo para entrega das alegações finais do Ministério Público Federal (MPF), assistente de acusação e defesas dos réus. O próximo passo é a sentença.

 

Adaptado da fonte Gazeta do Povo

Newsletter RENOVA

Receba gratuitamente as principais notícias do Brasil e do Mundo por email.

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...