Português   English   Español
Português   English   Español

Sem valor, dinheiro da Venezuela vira artersanato

Wilmer Rojas, 25, shows the purses he sewn up, using Bolivar bills in Caracas, on January 30, 2018. A young Venezuelan tries to make a living out of devalued Bolivar banknotes by making crafts with them. / AFP PHOTO / FEDERICO PARRA
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

A situação econômica venezuelana vai de mal a pior. Apesar de não divulgar número oficiais, a ditadura de Nicolás Maduro está sofrendo para controlar o avanço da inflação no país.

De acordo com informações do Estadão:

Começou como uma brincadeira. O ambulante Wilmer Rojas, de 25 anos, recolhia notas de 2, 5, 10 e 20 bolívares – descartadas e indesejáveis em um país no qual a hiperinflação deve chegar a 13.000% este ano – para fazer barquinhos de papel.

Conforme o tempo passa, a moeda se desvaloriza e a repulsa a ela cresce, ele passou a confeccionar de tudo com as notas que ninguém quer: de carteiras a caixas de cigarro para vendê-las numa barraca em uma das estações de metrô de Caracas, a capital da Venezuela.

“As pessoas jogam essas notas fora porque não servem para comprar nada, ninguém as aceita”, explica. “Não servem nem para comprar uma bala.”

A matéria do Estadão acrescentou:

No centro de Caracas e na fronteira com a Colômbia, também é comum a venda de bolsas e mochilas feitas a partir de notas de bolívares.

Com mil notas de 2 bolívares que ninguém aceita, o desenhista de José León, de 26 anos, começou um protesto no Instagram chamado “Venezuela Desvalorizada”.

Ele pintou as notas com imagens de heróis de histórias em quadrinhos, paisagens e cenas cotidianas da crise venezuelanas, sobrepostas sobre o rosto do libertador Simón Bolívar. Seus clientes pagam até 20 dólares por uma peça.

“Com um pouco de tinta, eu revalorizo minha moeda em 5.00%”, brinca.

Compartilhe...

Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
Share on reddit
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...

Curta a RENOVA!