Sérgio Camargo entra na mira do MPT por assédio moral

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

MPT recebeu uma denúncia relatando que Camargo “estaria praticando perseguição ideológica”.

O Ministério Público do Trabalho do Distrito Federal está investigando o presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, por suposto assédio moral.

O inquérito está em fase de colheita de depoimentos. Dezenas de pessoas devem ser ouvidas nos próximos meses.

A investigação teve início em julho de 2020. O assédio teria sido cometido por Camargo contra funcionários do órgão. 

O MPT no DF recebeu uma denúncia relatando que Camargo “estaria praticando perseguição ideológica a trabalhadores da Fundação que tenham opiniões e posições políticas e ideológicas distintas das suas”.

De acordo com o jornal Estadão:

“A notícia de fato apontava ainda que áudios revelados pelo Estadão em junho, de uma reunião entre Camargo e servidores realizada em abril, confirmariam o ‘processo de perseguição ideológica’.

Nas gravações, o presidente da Fundação Palamares chama o movimento negro como ‘escória maldita’ e promete demitir diretores da autarquia que não tiverem como ‘meta’ a demissão de um ‘esquerdista’.”

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.