Português   English   Español

Site petista profetiza vitória de Bolsonaro, Lula exilado no Uruguai e convite de Trump pra visitar Casa Branca

Em um artigo de opinião no site Justificando – parceiro da Carta Capital – intitulado “O dia em que Bolsonaro tomou posse na presidência do Brasil”, o antropólogo Luiz Eduardo Soares fala sobre este cenário apocalíptico para a esquerda brasileira.

Você pode ler o texto completo clicando aqui. Abaixo, citarei os momentos mais divertidos da narrativa.

A celebração da posse de Jair Bolsonaro foi assim:

Jair Bolsonaro toma posse no fim da manhã gélida do planalto central, apesar do verão. O Congresso está disposto a aclamar a nova cara do poder e abre as portas para os patriotas que vieram em caravana de todo o país. Casa cheia. Nas galerias, todo mundo veste a camisa da seleção brasileira, sopra vuvuzelas e entoa o hino da campanha vitoriosa: “sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor ô, ô.” Senhoras e senhores erguem terços, bíblias e panelas, o novo símbolo nacional.

Lula e Dilma exilados no Uruguai:

Sem alarde, Lula pede asilo ao Uruguai. Acompanhado por seus assessores mais próximos, refugia-se na embaixada no fim da tarde de 31 de dezembro. Dilma fizera o mesmo, logo após o segundo turno das eleições.

Bolsonaro explica que escolheu seus ministros analisando os méritos, não para agradar a turma politicamente correta:

No dia 5 de janeiro de 2019, o presidente concede sua primeira entrevista coletiva, na qual explica a ausência de negros e mulheres no ministério: “o importante é que os ministros sejam competentes e patriotas. Preocupação com a cor só alimenta o racismo, em um país miscigenado como o nosso, e preocupação com sexo é coisa da esquerda.

Convite do presidente dos EUA para visitar a Casa Branca:

Na segunda semana de mandato, o “capitão do time”, como o presidente se autointitulava, é convidado por Trump a visitar a Casa Branca e se empolga, em cadeia de rádio e televisão: “Cumprindo os compromissos de campanha, a segurança e a família serão prioridades em meu governo. Os empregos virão com o tempo, não é uma coisa que se resolva de um dia para o outro. Depende da retomada do crescimento, o que já está em marcha, graças às medidas corajosas que começamos a tomar. Os investimentos estrangeiros estão chegando em um volume jamais visto. Isso porque o mundo inteiro sabe que vamos livrar o Brasil de seu passado estatista e de sua mentalidade arcaica”.

Tolerância zero com bandidos e Forças Armadas nas ruas:

Ele [Bolsonaro] continuou: “O mais urgente, a revolução na segurança pública, terá início amanhã: as zonas perigosas serão ocupadas pelas Forças Armadas. E eu aproveito para avisar aos bandidos, traficantes e a toda essa corja: vamos esmagar vocês. Quem enfrentar os representantes da lei vai morrer. Uma grande limpeza vai começar”.

Caetano Veloso e Paula Lavigne fora do país:

Em 22 de janeiro, Caetano Veloso e Paula Lavigne, auto-exilados em Nova York, leem carta aberta à imprensa mundial, denunciando a derrocada da democracia no Brasil.

Para finalizar, o autor alerta para os riscos da vitória de Bolsonaro e usa Trump como exemplo:

As distopias podem ajudar a prevenir tragédias. Espero que esta nos ajude a pensar e agir, preventivamente, sem menosprezar riscos que, hoje, talvez pareçam inexistentes pelo absurdo que representariam, mas cuja consequência por vezes surpreende. Trump é a prova.

Deixe seu comentário

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter