A franco-atiradora que exterminou centenas de nazistas na 2ª Guerra

Com apenas 25 anos, Lyudmila Pavlichenko, tenente do Exército Vermelho de Moscou, já tinha sido responsável por 309 mortes, a maioria de soldados de Adolf Hitler.

Porém, não são poucos os especialistas que duvidam desses números e acreditam que Pavlichenko teria sido, na verdade, uma lenda forjada pela União Soviética.

De fato, Pavlichenko foi enviada aos Estados Unidos como heroína, em nome do Alto Comando Soviético, para tentar ganhar apoio americano no front de batalha da Europa Ocidental, aberto pelos nazistas em 1940 ao invadir Noruega, Dinamarca e França.

O líder soviético Josef Stálin tentava desesperadamente que os aliados invadissem o continente para forçar os alemães a dividir suas forças e, assim, aliviar a pressão sobre suas tropas na frente oriental.

Com essa missão em mente, Pavlichenko pisou na Casa Branca – foi a primeira soviética a fazê-lo -, onde foi recebida pelo presidente Franklin Roosevelt. Em seguida, embarcaria em um giro pelo país com a primeira-dama, Eleanor Roosevelt, para contar aos americanos suas experiências no combate.

 

Continue a leitura da matéria no site da BBC Brasil

RENOVA Mídia precisa do seu apoio para continuar em funcionamento. Conheça nossa história e faça sua doação (boletou ou cartão) através da plataforma ApoiaSe. Clique AQUI e faça sua parte.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia