Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Steve Bannon explica o que é ‘O Movimento’

Steve Bannon explica o que é 'O Movimento'
COMPARTILHE

Você já ouviu falar sobre The Movement? Conheça um pouco mais sobre a organização direitista que ganha força mundo afora.

Steve Bannon, ex-estrategista-chefe da Casa Branca do presidente Donald Trump, concedeu uma entrevista ao jornal Folha de S.Paulo nesta quarta-feira (6).

Considerado por muitos americanos como um dos principais responsáveis pela vitória de Trump, Bannon passou oito meses ao lado do atual presidente dos Estados Unidos, antes de deixar a Casa Branca para impulsionar o seu grupo O Movimento.

De acordo com a Folha, a organização é “uma rede de partidos e políticos que pregam ideais de direita radical, populistas e nacionalistas”.

Segundo as palavras de Bannon, O Movimento é uma “rede de partidos políticos e líderes” com objetivo de “construir relações e intercambiar ideias”.

O norte-americano diz que o grupo segue fazendo workshops, conferências, encontros, em vários países, principalmente na Europa, que se prepara para eleições do Parlamento da União Europeia.

Durante a conversa com o jornal, o repórter da Folha pediu a Bannon a definição de “populismo”. Em sua resposta, Bannon deixou transparecer os ideais da organização:

“Populismo significa tomar decisão o mais perto das pessoas possível e com a influência das pessoas. Fazer políticas sociais, econômicas ou de segurança nacional, mas sem atender aos interesses da elite.”

Ele acrescentou:

“Nos EUA, na última década, as elites cuidaram de si mesmas às custas das classes trabalhadoras e médias. Populismo é basicamente garantir que a classe média e a classe trabalhadora terão um lugar à mesa.”

Em um certo trecho da entrevista, Bannon também deixou claro que O Movimento não coaduna com a política intervencionista utilizada ao longo dos últimos anos por governos globalistas no Oriente Médio:

“Não somos intervencionistas. Em outras palavras, não achamos que seja papel dos EUA rodar o mundo se metendo na vida das pessoas. Tentamos impingir os ideais cristãos, democráticos, ocidentais nas sociedades.”

Indagado pelo jornalista sobre um possível retorno ao Partido Republicano para a campanha de reeleição de Trump, Bannon foi enfático na negativa:

“Não. Estou trabalhando no Movimento, trabalho com grupos que o apoiam, sou um apoiador. Mas não me vejo mais em campanha e jamais voltaria à Casa Branca.”

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários