STF pode julgar notícia-crime contra Bolsonaro por genocídio

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Gestão de Bolsonaro na pandemia em relação ao restante da população está na mira.

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, pediu que o presidente da Corte, Luiz Fux, marque julgamento de uma notícia-crime apresentada contra o presidente da República, Jair Bolsonaro.

Apresentada pelo advogado André Barros, a queixa-crime acusa Bolsonaro de genocídio contra indígenas na pandemia de coronavírus.

O objetivo de Cármen Lúcia é julgar se a Procuradoria-Geral da República (PGR) deve abrir ou não um inquérito para investigar Bolsonaro por sua conduta ao vetar trecho de lei para assistência a indígenas durante a crise sanitária.

O trecho vetado previa garantia de fornecimento de água potável e insumos médicos. 

A queixa-crime ainda menciona a gestão do chefe do Executivo na pandemia em relação ao restante da população.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.