Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Suprema Corte da Pensilvânia derruba decisão pró-Trump

Trump acusa Partido Democrata de roubar a eleição com 'votos ilegais'
COMPARTILHE

Decisão era de que os observadores eleitorais pudessem acessar de perto a apuração.

A Suprema Corte da Pensilvânia derrubou, nesta terça-feira (17), uma decisão do tribunal de apelações que exigia que observadores eleitorais tivessem acesso de perto ao processo de contagem de votos na eleição presidencial dos Estados Unidos

Autoridades da Filadélfia apelaram à Suprema Corte estadual, dizendo que as restrições aos observadores eram necessárias para o distanciamento social e a privacidade do eleitor. 

O tribunal decidiu, por 5 votos a 2, a favor do Conselho Eleitoral da Filadélfia.  

Em decisão, a juíza Debra Todd afirmou: 

“O Conselho não agiu de forma contrária à lei ao formular seus regulamentos que regem o posicionamento de representantes de candidatos durante o processo de pré-votação e votação, visto que o Código Eleitoral não especifica parâmetros de distância mínima para a localização de tais representantes.” 

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
2 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Paulo Arais
Paulo Arais
10 dias atrás

Eu tenho acompanhado toda essa batalha eleitoral diretamente de sites dos EUA, e a tendência é que as ações irão subir até a Suprema Corte dos EUA (lembrem-se que lá existem Supremas Cortes nos estados e uma para a nação). Ainda sim os advogados da equipe de Trump tem dado várias entrevistas sobre evidências de fraudes que tem sido encontradas aos montes.

O negócio é que o Congresso pode decidir a eleição. Isso funciona assim, quando o Colégio Eleitoral se reunir em 14/12 para certificar os resultados o Congresso pode vetar a votação de determinados estados se entenderem que houve irregularidades no processo eleitoral de lá.

A Câmara dos Representantes escolheria o presidente e o Senado escolheria o vice. A escolha é feita por delegações estaduais e como a maioria dos estados dos EUA são governados por Republicanos isso favorece o Trump caso o Congresso tenha que decidir.

Cavalo Branco
Cavalo Branco
11 dias atrás

O que dá raiva é que o Trump sabia que iria ocorrer fraude e nada ou muito pouco fez para conter a sanha dos democratas em fraudar as eleições. Pelo visto o poder do homem mais poderoso do mundo só existe quando todos os outros poderes delegam essa autoridade a ele, ou seja, todos os outros donos de imóveis em Manhattan, o povo é um mero detalhe. Aqui no Brasil está acontecendo exatamente a mesma coisa nas eleições municipais. A democracia é uma utopia.