Português  English  Español

Apoie o jornalismo independente!

Supremo pode anular condenação de Lula e mais 158 na Lava Jato

Supremo pode anular condenação de Lula e mais 158 na Lava Jato
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Procurador da República alerta que o julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre envio dos processos de certos crimes para a Justiça Eleitoral pode representar a destruição de todo trabalho da Operação Lava Jato.

Em entrevista nesta quarta-feira (13), Carlos Fernando dos Santos Lima deixou um alerta:

“Corremos o risco não só para o futuro das investigações da Lava Jato, mas para tudo o que ela vez até hoje. É delicado. É quase inacreditável que haja uma intenção real de se tomar essa decisão. Porque podem jogar cinco anos no lixo, por uma questão técnica sem relevância.”

O procurador da República disse que se o STF decidir pela competência exclusiva da Justiça Eleitoral para julgar casos em que crimes comuns estiverem atrelados a crimes eleitorais, todos os condenados até aqui na Lava Jato – foram 159 – podem ter seus processos anulados, inclusive o presidiário Lula da Silva, informa o Estado de Minas.

“Se o STF mandar tudo ser enviado para a Justiça Eleitoral, por que não vão anular a condenação do Lula? Do Eduardo Cunha?”, acrescentou Carlos Fernando.

Com placar de 2 votos a 1, em favor do envio de investigações sobre corrupção para a Justiça Eleitoral, o STF suspendeu a sessão de julgamento nesta quarta-feira (13).

Até agora, votaram pela competência da Justiça Eleitoral os ministros Marco Aurélio Mello e Alexandre de Moraes. O único a divergir foi Edson Fachin, que supervisiona a Lava Jato na Corte, como noticiou a RENOVA.

Compartilhe...

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...