Português  English  Español

Apoie o jornalismo independente!

Tabela de frete tem de ‘morrer naturalmente’, diz ministro

Tabela de frete tem de 'morrer naturalmente', diz ministro
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Tabela foi instituída no Brasil após a greve de caminhoneiros de 2018. Ministro Freitas quer o fim dela.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirma que a tabela de frete é uma “aberração” e é preciso que ela deixe de existir.

De acordo com o ministro, para resolver o problema, é preciso “desmamar” o setor e deixar que a tabela “morra naturalmente”.

“Também não adianta chegar um governo novo e falar que amanhã não tem mais tabela. Não pode ser assim”, disse o ministro em jantar na noite desta terça-feira (6), segundo o site UOL.

Tarcísio de Freitas ponderou ainda que se trata de um problema econômico e não de infraestrutura, foco de sua pasta:

“A causa do problema é a política industrial errada. O Produto Interno Bruto (PIB) e a frota sempre caminham juntos. O que aconteceu no Brasil? O PIB caiu e a frota subiu. O caminhoneiro está lá morrendo e não consegue perceber que é por causa do excesso de oferta. Aí me manda, mensagem: ‘Ministro, nós estamos morrendo. Estão mesmo.”

De acordo com Freitas, com a retomada do crescimento, será possível reequilibrar novamente oferta e demanda:

“Se fizermos vários acordos, a gente torna a vida do próprio Supremo Tribunal Federal mais fácil. A carga de responsabilidade diminui. Imagino que o Supremo deve estar com medo: se eu decido pela inconstitucionalidade, será que o Brasil para amanhã?”, afirmou o ministro. “Mas se dissermos que não vai ser surpresa e todo mundo já sabe mais ou menos o preço que será praticado? E aí fazemos renascer a cultura da livre-negociação, que é um coisa que existia e perdemos.”

Compartilhe...

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...