Talibã é o maior beneficiário dos bilhões investidos pelos EUA

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O acúmulo repentino de equipamentos militares afegãos pelo Talibã é enorme.

Construídas e treinadas a um custo de US$ 83 bilhões, as forças de segurança do Afeganistão colapsaram tão rapidamente — em alguns casos sem um tiro disparado — que o principal beneficiário do investimento dos Estados Unidos ao longo das duas últimas décadas acabou sendo o grupo terrorista Talibã

Os talibãs conquistaram não apenas o poder político, mas também o poder de fogo fornecido pelos EUA: armas, munições, veículos militares, helicópteros, aviões de combate e muito mais.

Dos aproximadamente US$ 145 bilhões que o governo dos EUA gastou tentando reconstruir o Afeganistão, cerca de US$ 83 bi foram para desenvolver e manter seu exército e forças policiais, de acordo com o Escritório do Inspetor Geral Especial para a Reconstrução do Afeganistão, um órgão de vigilância criado pelo Congresso que rastreou a guerra desde 2008. 

Os US$ 145 bilhões somam-se aos US$ 837 bilhões que os EUA gastaram no combate à guerra, que começou com uma invasão ordenada pelo ex-presidente George W. Bush em outubro de 2001.

O Talibã capturou uma série de equipamentos militares modernos quando atacou as forças afegãs que não conseguiram defender os centros distritais. 

A organização terrorista conquistou capitais provinciais e bases militares com uma velocidade impressionante, culminando com a captura do maior prêmio, a capital Cabul, no fim de semana.

Em seu primeiro pronunciamento sobre o assunto, o presidente dos EUA, Joe Biden, defendeu a forma como optou pela retirada das tropas americanas do Afeganistão. 

Isso tudo realmente se desenrolou mais rápido do que pensávamos”, disse Biden em um pronunciamento em rede nacional de TV.

Um oficial de defesa dos EUA alertou à agência Associated Press que o acúmulo repentino de equipamentos militares afegãos pelo Talibã foi enorme. 

O funcionário não estava autorizado a discutir o assunto publicamente e por isso falou sob condição de anonimato, destaca a AP.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.