Talibãs trocam AK-47 por fuzis dos Estados Unidos

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Os talibãs foram os maiores beneficiários dos bilhões investidos pelos EUA.

O russo Kalashnikov AK-47 e seus derivados são os fuzis de assalto preferido de grupos terroristas por causa de seu design robusto e da facilidade para encontrá-los no mercado negro.

Agora, alguns combatentes do Talibã estão trocando-os por armas dos EUA capturadas enquanto o governo do Afeganistão entrava em colapso.

Vídeos e fotos publicados por extremistas nas redes sociais mostram combatentes carregando carabinas M4 e rifles M16 descartados por unidades do exército afegão. 

Outras imagens mostram forças do Talibã capturando veículos militares abandonados.

Como noticiou o portal RenovaMídia, os talibãs foram os maiores beneficiários dos bilhões investidos pelos EUA ao longo das últimas duas décadas.

Os fuzis dos EUA são mais precisos e têm maior alcance do que os AK-47s, mas por si só não podem oferecer uma capacidade muito superior no campo de batalha.

Segundo a agência Reuters, o coronel Grant Newsham, aposentado do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, declarou:

“Alguns dos equipamentos podem ser úteis para intimidar ‘senhores da guerra’ rivais, mas isso é tudo. Eles se deram muito bem com o que já tinham.”

Dos aproximadamente US$ 145 bilhões que o governo dos EUA gastou tentando reconstruir o Afeganistão, cerca de US$ 83 bilhões foram destinados para desenvolver e manter seu exército e forças policiais.

A informação foi divulgada pelo Escritório do Inspetor Geral Especial para a Reconstrução do Afeganistão, um órgão de vigilância criado pelo Parlamento dos EUA que rastreou a guerra desde 2008. 

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.