Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Telegram e Signal: downloads disparam nas lojas de aplicativos

Telegram e Signal: downloads disparam nas lojas de aplicativos
COMPARTILHE

No Brasil, o Telegram já estava entre os 50 apps mais baixados há algum tempo.

As controversas mudanças na política de privacidade do WhatsApp fizeram vários concorrentes ganharem destaque nas lojas de aplicativos. 

Telegram Signal, por exemplo, chegaram ao primeiro lugar em downloads no Google Play e na App Store em dezenas de países.  

Aqui no Brasil, os dois apps de troca de mensagens figuram entre os 10 mais baixados nas duas lojas virtuais.  

O repentino crescimento no número de downloads do Telegram e Signal aconteceu em meio ao receio dos usuários de compartilharem dados com o Facebook

De acordo com a consultoria App Annie, o Signal esteve em primeiro lugar na App Store em 44 países neste domingo (10).  

Uma semana atrás, antes de toda a polêmica se iniciar, o aplicativo não liderava os downloads em nenhum país. 

VEJA TAMBÉM: RenovaMídia vai desativar canais no WhatsApp

Foto: Reprodução/Signal

Com o Telegram, a elevação no interesse é impressionante, visto que o app já conte com quase 500 milhões de usuários.  

A versão para Android liderava a Play Store em 20 nações neste domingo. No caso da App Store, são 29 mercados diferentes, ainda segundo a App Annie. 

Lava Jato desativou contas do Telegram ‘após invasão criminosa’
Foto: Reprodução/Telegram

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
2 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Bruno
Bruno
6 dias atrás

Também existe o LINE

Maria
Maria
6 dias atrás

Se eu tivesse que tratar der assunto ultra secretos, confiaria mais no velho pombo correio do que em redes sociais. Mas é o que se tem para o momento.

PUBLICIDADE