Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Terroristas do Hezbollah sofrem com pressão de Donald Trump

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Terroristas do Hezbollah sofrem com pressão de Donald Trump

As sanções impostas por Trump contra o Irã estão afetando o financiamento do grupo terrorista Hezbollah.

O grupo terrorista Hezbollah foi forçado a implementar “cortes draconianos” em seus gastos.

A medida é resultado direto das sanções impostas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contra o regime islâmico do Irã, de acordo com o jornal The Washington Post.

No ano passado, a organização extremista do Líbano recebeu mais de US$ 700 milhões por ano, cerca de 70% de sua receita, do Irã.

Mas a capacidade do regime islâmico em Teerã de financiar o Hezbollah foi significativamente reduzida depois que Trump abandonou o acordo nuclear fechado pelo ex-presidente Barack Obama em 2015.

“Não há dúvidas de que essas sanções tiveram um impacto negativo”, disse um funcionário do Hezbollah ao jornal. “Mas, em última análise, as sanções são um componente da guerra e vamos enfrentá-las neste contexto.”

O governo dos Estados Unidos afirma que US$ 10 milhões foram retirados das mãos do grupo terroristas como resultado direto das sanções impostas contra o Irã.

Funcionários e combatentes que conseguiram manter seus empregos dentro do Hezbollah estão sentindo o aperto, perdendo acesso a benefícios auxiliares como refeições, gasolina e transporte, de acordo com uma fonte do grupo terrorista que falou com o Washington Post.

Em março, o líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, pediu a seus seguidores que contribuam para “uma jihad de dinheiro”, em um esforço para compensar suas escassas fontes de receita.

As redes sociais do Hezbollah lembram constantemente aos cidadãos libaneses que é seu “dever religioso” contribuir com instituições de caridade dirigidas pela organização terrorista, informa o Daily Caller.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email